Controle de fluxo

Decidir se deve ou não executar algum código, dependendo se uma condição é verdadeira e decidir executar algum código repetidamente enquanto uma condição é verdadeira, são blocos de construção básicos na maioria das linguagens de programação. As construções mais comuns que permitem controlar o fluxo de execução do código Rust são as expressões if e laços de repetição.

Expressão if

Uma expressão if permite ramificar seu código dependendo das condições. Você fornecer uma condição e, em seguida, estado, "Se esta condição for cumprida, execute este bloco de código. Se a condição não for atendida, não execute este bloco de código. ”

Crie um novo projeto chamado branches no seu diretório projects para explorar a expressão if. No arquivo * src / main.rs *, digite o seguinte:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let numero = 3;

    if numero < 5 {
        println!("condição era verdadeira");
    } else {
        println!("condição era falsa");
    }
}

Todas as expressões if começam com a palavra-chave if, que é seguida por uma condição. Neste caso, a condição verifica se a variável number tem um valor menor que 5. O bloco de código que queremos executar se o condição é verdadeira é colocada imediatamente após a condição dentro de chaves. Blocos de código associados às condições em expressões if são às vezes chamado de divisões, assim como as expressões de combinação que nós discutimos na seção “Comparando o Palpite ao Número Secreto” de Capítulo 2.

Opcionalmente, também podemos incluir uma expressão else, que escolhemos fazer aqui, para dar ao programa um bloco de código alternativo a ser executado, caso a condição seja avaliada como falsa. Se você não fornecer uma expressão else e a condição for falsa, o programa simplesmente ignorará o bloco if e passará para o próximo bit de código.

Tente executar este código; você deve ver a seguinte saída:

$ cargo run
   Compiling branches v0.1.0 (file:///projects/branches)
    Finished dev [unoptimized + debuginfo] target(s) in 0.31 secs
     Running `target/debug/branches`
condição era verdadeira

Vamos tentar alterar o valor de numero para um valor que torne a condição false para ver o que acontece:

let numero = 7;

Execute o programa novamente e observe a saída:

$ cargo run
   Compiling branches v0.1.0 (file:///projects/branches)
    Finished dev [unoptimized + debuginfo] target(s) in 0.31 secs
     Running `target/debug/branches`
condição era falsa

Também é importante notar que a condição neste código deve ser um bool. E se a condição não é um bool, nós vamos receber um erro. Por exemplo:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let numero = 3;

    if numero {
        println!("número era 3");
    }
}

A condição if é avaliada para um valor de 3 desta vez, e Rust lança um erro:

error[E0308]: mismatched types
 --> src/main.rs:4:8
  |
4 |     if numero {
  |        ^^^^^^ expected bool, found integral variable
  |
  = note: expected type `bool`
             found type `{integer}`

O erro indica que Rust esperava um bool, mas obteve um inteiro. Ao contrário de linguagens como Ruby e JavaScript, o Rust não tentará automaticamente converter tipos não-booleanos em um booleano. Você deve explicitar e sempre fornecer if com um booleano como sua condição. Se quisermos que o bloco de código if seja executado somente quando um número não é igual a 0, por exemplo, podemos mudar o if para o seguinte:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let numero = 3;

    if numero != 0 {
        println!("número era algo diferente de zero");
    }
}

A execução deste código irá imprimir número era algo diferente de zero.

Gerenciando Múltiplas Condições com else if

Você pode ter várias condições combinando if eelse em um else if. Por exemplo:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let numero = 6;

    if numero % 4 == 0 {
        println!("número é divisível por 4");
    } else if numero % 3 == 0 {
        println!("número é divisível por 3");
    } else if numero % 2 == 0 {
        println!("número é divisível por 2");
    } else {
        println!("número não é divisível por 4, 3 ou 2");
    }
}

Este programa tem quatro caminhos possíveis. Depois de executá-lo, você deve ver a seguinte saída:

$ cargo run
   Compiling branches v0.1.0 (file:///projects/branches)
    Finished dev [unoptimized + debuginfo] target(s) in 0.31 secs
     Running `target/debug/branches`
número é divisível por 3

Quando este programa é executado, ele verifica cada expressão if por sua vez e executa o primeiro corpo para o qual a condição é verdadeira. Note que mesmo que 6 seja divisível por 2, nós não vemos a saída o número é divisível por 2, nem vemos o texto número não é divisível por 4, 3 ou 2 do bloco else. Isso ocorre porque o Rust só executa o bloco para a primeira condição verdadeira e, depois de encontrar um, não verifica o restante.

Usar muitas expressões else if pode confundir seu código, portanto, se você tiver mais de uma, convém refatorar seu código. O Capítulo 6 descreve uma poderosa construção de ramificação em Rust chamada match para esses casos.

Usando if em uma declaração let

Pelo fato de if ser uma expressão, podemos usá-la do lado direito de uma declaração let, como na Listagem 3-2:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let condicao = true;
    let numero = if condicao {
        5
    } else {
        6
    };

    println!("O valor do número é: {}", numero);
}

Listagem 3-2: Atribuindo o resultado de uma expressão if para uma variável

A variável numero será ligada a um valor baseado no resultado da expressão if. Execute este código para ver o que acontece:

$ cargo run
   Compiling branches v0.1.0 (file:///projects/branches)
    Finished dev [unoptimized + debuginfo] target(s) in 0.30 secs
     Running `target/debug/branches`
O valor do número é: 5

Lembre-se de que os blocos de código são avaliados até a última expressão, e os números por si mesmos também são expressões. Neste caso, o valor de toda a expressão if depende de qual bloco de código é executado. Isso significa que os valores que têm o potencial de serem resultados de cada braço do if e que devem ser do mesmo tipo; na Listagem 3-2, os resultados do braço if e do else eram inteiros i32. Se os tipos forem incompatíveis, como no exemplo a seguir, receberemos um erro:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let condicao = true;

    let numero = if condicao {
        5
    } else {
        "seis"
    };

    println!("O valor do número é: {}", numero);
}

Quando tentamos executar esse código, recebemos um erro. Os braços if eelse possuem valores de tipos que são incompatíveis, e Rust indica exatamente onde encontrar o problema no programa:

error[E0308]: if and else have incompatible types
 --> src/main.rs:4:18
  |
4 |       let numero = if condicao {
  |  __________________^
5 | |         5
6 | |     } else {
7 | |         "seis"
8 | |     };
  | |_____^ expected integral variable, found &str
  |
  = note: expected type `{integer}`
             found type `&str`

A expressão no bloco if é avaliada como um inteiro, e a expressão no blocoelse é avaliada como uma string. Isso não funcionará porque as variáveis precisam ter um único tipo. Rust precisa saber em tempo de compilação qual é o tipo da variável numero, definitivamente, para que possa verificar em tempo de compilação que seu tipo é válido em todos os lugares em que usamos numero. Rust não seria capaz de fazer isso se o tipo de numero fosse determinado apenas em tempo de execução; o compilador seria mais complexo e faria menos garantias sobre o código se tivesse que manter o controle de vários tipos hipotéticos para qualquer variável.

Repetição com laços de repetição

Geralmente, é útil executar um bloco de código mais de uma vez. Para essa tarefa, o Rust fornece vários loops. Um loop percorre o código dentro do corpo do loop até o final e, em seguida, inicia imediatamente no início. Para experimentar loops, vamos criar um novo projeto chamado loops.

O Rust possui três tipos de loops: loop,while e for. Vamos tentar cada um.

Código de Repetição com loop

A palavra-chave loop diz ao Rust para executar um bloco de código várias vezes para sempre ou até que você diga explicitamente para parar.

Como exemplo, altere o arquivo src/main.rs do diretório loops para algo como isso:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    loop {
        println!("novamente!");
    }
}

Quando executamos este programa, veremos ``novamente!` impresso repetidamente até que paremos o programa manualmente. A maioria dos terminais suporta um atalho de teclado, ctrl-c , para parar um programa que está preso em um loop contínuo. De uma chance:

$ cargo run
   Compiling loops v0.1.0 (file:///projects/loops)
    Finished dev [unoptimized + debuginfo] target(s) in 0.29 secs
     Running `target/debug/loops`
novamente!
novamente!
novamente!
novamente!
^Cnovamente!

O símbolo ^C representa onde você pressionou ctrl-c . Você pode ou não ver a palavra novamente! Impressa depois do ^C, dependendo de onde o código estava no loop quando recebeu o sinal de parada.

Felizmente, o Rust oferece outra maneira mais confiável de sair de um loop. Você pode colocar a palavra-chave break dentro do loop para dizer ao programa quando parar de executar o loop. Lembre-se que fizemos isso no jogo de adivinhação no “Quitting After a Guess Correct” do Capítulo 2 para sair do programa quando o usuário ganhou o jogo, adivinhando o número correto.

Loops condicionais com while

Geralmente, é útil para um programa avaliar uma condição dentro de um loop. Enquanto a condição é verdadeira, o loop é executado. Quando a condição deixa de ser verdadeira, o programa chama o break, parando o loop. Esse tipo de loop pode ser implementado usando uma combinação de loop,if, else ebreak; você poderia tentar isso agora em um programa, se você quiser.

No entanto, esse padrão é tão comum que o Rust possui uma construção de linguagem integrada para isso, chamado de loop while. A Listagem 3-3 usa while: o programa faz o loop três vezes, a contagem decrescente de cada vez e, depois do ciclo, imprime outra mensagem e sai.

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let mut numero = 3;

    while numero != 0 {
        println!("{}!", numero);

        numero = numero - 1;
    }

    println!("LIFTOFF!!!");
}

Listagem 3-3: Usando um loop while para executar o código enquanto condição for verdadeira

Essa construção elimina muito o aninhamento que seria necessário se você usasse loop,if, else ebreak, e é mais claro. Enquanto a condição for verdadeira, o código é executado; caso contrário, sai do loop.

Looping através de uma coleção com for

Você poderia usar a construção while para fazer um loop sobre os elementos de uma coleção, como uma matriz. Por exemplo, vamos ver a Listagem 3-4:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let a = [10, 20, 30, 40, 50];
    let mut indice = 0;

    while indice < 5 {
        println!("O valor é: {}", a[indice]);

        indice = indice + 1;
    }
}

Listagem 3-4: percorrendo cada elemento de uma coleção usando um loop while

Aqui, o código conta através dos elementos na matriz. Começa no índice 0 e, em seguida, faz um loop até atingir o índice final na matriz (isto é, quando indice <5 não é mais verdadeiro). Executando este código irá imprimir todos os elementos na matriz:

$ cargo run
   Compiling loops v0.1.0 (file:///projects/loops)
    Finished dev [unoptimized + debuginfo] target(s) in 0.32 secs
     Running `target/debug/loops`
O valor é: 10
O valor é: 20
O valor é: 30
O valor é: 40
O valor é: 50

Todos os cinco valores de matriz aparecem no terminal, conforme esperado. Embora indice vai chegar a um valor de 5 em algum momento, o loop para de executar antes de tentar para buscar um sexto valor da matriz.

Mas essa abordagem é propensa a erros; poderíamos fazer o programa entrar em pânico se o o comprimento do índice estivesse incorreto. Também é lento, porque o compilador adiciona código de tempo de execução para executar a verificação condicional em cada elemento em cada iteração através do loop.

Como uma alternativa mais concisa, você pode usar um laço for e executar algum código para cada item de uma coleção. Um laço for parece com este código na Listagem 3-5:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    let a = [10, 20, 30, 40, 50];

    for elemento in a.iter() {
        println!("O valor é: {}", elemento);
    }
}

Listagem 3-5: percorrendo cada elemento de uma coleção usando um laço for

Quando executamos esse código, veremos a mesma saída da listagem 3-4. Mais importante, agora aumentamos a segurança do código e eliminamos a chance de erros que podem resultar de ir além do final da matriz ou não indo longe o suficiente e faltando alguns itens.

Por exemplo, no código da Listagem 3-4, se você removeu um item do array a, mas esqueceu de atualizar a condição para while indice <4, o código causaria um pânico. Usando o loop for, você não precisa se lembrar de alterar qualquer outro código se você alterou o número de valores na matriz.

A segurança e a concisão dos loops for fazem deles o loop mais comumente usado em Rust. Mesmo em situações em que você deseja executar algum código certo número de vezes, como no exemplo da contagem regressiva que usou um loop while da Listagem 3-3, a maioria dos Rustaceans usaria um loop for. A maneira de fazer isso seria usar um Range, que é um tipo fornecido pela biblioteca padrão que gera todos os números em sequência a partir de um número e terminando antes de outro número.

Veja como seria a contagem regressiva usando um loop for e outro método, que nós ainda não falamos, rev, para reverter o intervalo:

Nome do arquivo: src/main.rs

fn main() {
    for numero in (1..4).rev() {
        println!("{}!", numero);
    }
    println!("LIFTOFF!!!");
}

Este código é um pouco melhor, não é?

Resumo

Você conseguiu! Esse foi um capítulo considerável: você aprendeu sobre variáveis, tipos de dados escalares e compostos, funções, comentários, expressões if e loops! E se você quer praticar com os conceitos discutidos neste capítulo, tente construir programas para fazer o seguinte:

  • Converta temperaturas entre Fahrenheit e Celsius.
  • Gerar o n-ésimo número de Fibonacci.
  • Imprima a letra da canção de natal "Os Doze Dias de Natal" aproveitando a repetição na música.

Quando você estiver pronto para seguir em frente, falaremos sobre um conceito em Rust que não comumente existente em outras linguagens de programação: propriedade.